Quem faz graduação tecnológica pode SIM cursar mestrado e doutorado!

Esta é uma postagem que resgato dos arquivos do blog.
O assunto é mais do que relevante e – infelizmente – continua atual. Uma pena que não consegui resgatar também a imagem que ilustrava a postagem original. No entanto, acho que a imagem que substitui a original é tão boa quanto.

que-deseleganteNo Jornal Hoje desta segunda, 22/10/2012, uma chamada despertou minha atenção. Eles tratariam de cursos de graduação tecnológica em um quadro do jornal chamada “sala de emprego”. O destaque (óbvio) é a lista de vantagens desta modalidade de graduação. Além disso, eles prometeram tratar da demanda por este tipo de profissional no mercado de trabalho (que é crescente).

Como coordeno um curso de graduação tecnológica, fiquei atento e acompanhei a matéria e o bate-papo que rolou no site do jornal assim que a edição da TV terminou.

Não preciso dizer que me decepcionei, né?

É incrível como jornalistas não cumprem seu papel. Tanto a especialista convidada quanto a apresentadora deste quadro do jornal repetiram que aqueles que fazem graduação tecnológica não podem fazer mestrado ou doutorado.

Nada mais distante da verdade. Duvida? Então leia este texto direto do portal do MEC!

Gente, o nome do tipo de curso é graduação tecnológica. Leu direito? É uma graduação! Mestrados e doutorados são cursos de pós-graduação stricto sensu. A lógica já diz que quem faz uma graduação está capacitado para fazer uma pós-graduação, certo? Não para o JH e sua especialista…

Esta confusão é comum nas cabeças das pessoas e aqueles que têm preconceitos contra os cursos de graduação tecnológica ajudam a espalhar esta falácia.

Basta uma busca no Google (coisa que nem a apresentadora do quadro e muito menos a especialista convidada devem saber fazer) para verificar que os profissionais formados em cursos de graduação tecnológica podem sim fazer mestrado e doutorado. Novamente, coloco a prova aqui.

Me deixa duplamente chateado este tipo de coisa. Em primeiro lugar, me chateia o fato de um jornal que deveria prestar um serviço relevante para a população se esforçar em desinformar. Em segundo lugar por propagar um preconceito sem embasamento contra cursos de graduação tecnológica.

Que deselegante!

Redes Sociais na TV

No dia 17 de julho tive o prazer de participar do programa Sala de Imprensa, da TV Assembléia.

Na ocasião, falei sobre Redes Sociais. Dentre os temas discutidos, destaco a origem e as motivações de uso de plataformas de redes sociais bem como o fim do Orkut e o uso destas plataformas por empresas e personalidades.

Você pode conferir o vídeo do programa abaixo.

Dois novos trabalhos publicados

Em 2013, após defender minha tese de doutorado, o esforço de quatro anos de pesquisa sobre redes sociais foi recompensado com a apresentação de um dos trabalhos derivados da tese no EnAnpad, o mais proeminente congresso de Administração do país.

Agora, em julho de 2014, eu e o colega professor Humberto Lopes, publicamos novos trabalhos derivados da tese. Desta vez foram publicados dois importantes artigos com as ideias mais importantes de minha tese num debate bastante interessante com os professores Alsones Balestrin e Jorge Verchoore no vol 18 (04) da RAC – Revista de Administração Contemporânea; uma das mais relevantes publicações científicas em Administração do Brasil.

Não dá para negar que estou me sentindo muito orgulhoso e satisfeito. Que venham mais boas oportunidades de conduzir trabalhos relevantes!

Design de Interação

20140610_vfdiEm 2013, como parte do projeto Design de Interação, disponibilizei um pequeno e-book sobre o tema.

O material trata dos princípios básicos de Design de Interação levando-se em conta a abordagem do Design Centrado no Usuário.

O e-book está disponível no site do projeto.

Espero que o texto seja útil para quem está começando a trabalhar com desenvolvimento de sistemas interativos.